sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Afinal também houve II Grande Guerra em Aveiro

Aterrou em S.Jacinto na II Guerra Mundial
Tommy com 87 anos em S. Jacinto

Tommy em 1941

Aos 19 anos, o sargento aviador John "Tommy" Thompson levantou voo de Portreath (Inglaterra) juntamente com outros dois tripulantes. O seu avião, um Blenheim, tinha como destino Malta mas faria escala em Gibraltar, para reabastecer. Estávamos a 27 de Agosto de 1941, em plena II Guerra Mundial e os ingleses lutavam no Cairo contra os alemães do África Corps e as forças francesas de Vichy. A viagem começou bem e acabou bem mas pelo meio ficou um susto que inscreveu a Freguesia de S. Jacinto no mapa da Grande Guerra.
Tommy nunca tinha testado o avião, utilizado no ataque a navios. Mal levantou voo notou problemas. Perto do Porto, a cerca de 12 mil pés de altitude, o aviador apercebe-se que não era possível bombear o combustível dos depósitos suplentes para os principais por falta de pressão na bomba e que o avião não conseguiria chegar ao destino. "Aterrem em Portugal", foi a decisão do superior, abandonada que foi a hipótese do Sul de Espanha pela perspectiva de encarceramento no campo de concentração de Miranda.
"Não tinha quaisquer mapas e havia que colocar o avião em terra enquanto ainda tínhamos fuel suficiente para fazer alguma coisa", recorda. A apenas dois quilómetros a Norte de S. Jacinto não avistaram praia mas uma pequena faixa de areia...
A tripulação sobreviveu à aterragem forçada mas incendiou o aparelho para destruir equipamento de identificação. "Vimo-lo arder, ficou completamente destruído. Foi um bom fogo de artifício...".
Um barco português levou-os para a base de S. Jacinto, onde passaram a noite. "De manhã fui num voo com um dos pilotos, até foi divertido. Acho que era o dia da marinha e tivemos uma festa excelente. Bebemos Vinho do Porto e comemos biscoitos. Foi uma festa muito boa", diz o aviador, hoje com 87 anos.
Depois chegaram uns polícias à base e transportaram-nos para as Caldas da Raínha, onde permaneceram duas semanas até receberem ordens para deixarem o país sem darem "demasiado nas vistas". Acabaram por ser ‘recolhidos’ por oficiais de S. Jacinto que os trouxeram de volta a Aveiro e os encaminharam para um navio da marinha britânica, rumo a Gibraltar.
Tommy acabou por ter sorte. Viveu e livrou-se das baixas assinaláveis que os esquadrões de Blenheims sofreram em Malta, e que ignorava.
Livro posteriza acontecimentos
O aviador "nunca mais" se esqueceu do episódio e os 27’s de Agosto continuam a surpreendê-lo com acontecimentos inesperados: "Fico sempre na expectativa em relação ao que vai acontecer a 27 de Agosto", brinca. Passados mais de 60 anos, o Mundo continua em guerra. Tommy olha para ela como um "terrível desperdício de vida".
Numa manhã do passado mês de Novembro, o aviador voltou a S. Jacinto pela ‘mão’ de Carlos Guerreiro, um jornalista que editou um livro em que conta a história de inúmeros casos como o deste inglês.
"O objectivo é divulgar algumas estórias que fazem parte da nossa História e que infelizmente ninguém contava. É estranho porque sempre se disse que Portugal esteve muito longe da II Guerra Mundial, que não aconteceu aqui nada e afinal aos poucos vai se percebendo que aconteceu aqui muita coisa. Queria que pessoas como o Tommy ainda vissem alguma coisa do esforço que fizeram", remata.

Fonte: O Aveiro

7 comentários:

rouxinol de Bernardim disse...

Ai S. Jacinto, S. Jacinto! Será que ainda existe o Café Gato Preto e o restaurante Terminal?

Será que o «Chez Edouard» ainda existe?

Já dei aulas de «natação» na lagoa que há dentro da Base Aérea no tempo do Major Branco , do Capitão Jacinto e do furriel Tavares (de Aveiro).

Viajante disse...

História notável de um país que parecia não estar em guerra.

Na minha família ficou a memória de uma família alemã que se refugiou em casa de meus avós. Deles ficou também a receita de um pudim que ainda hoje se faz cá em casa :)

Abraço!

Marieke disse...

Rouxinol
Então tu pensas que a evolução da nossa terra é assim tão rápida?
Tudo continua na mesma ..o Terminal continua com o avião pendurado no tecto..e lá recomendo o robalo escalado, gralhado na brasa e depois regado com azeite e alho...hummmm...delicioso
Um abraço aqui da beira mar

Marieke disse...

Viajante..tu sabes como eu..que em Portugal naquela altura ( se calhar sempre) nada do que parecia era..foi uma participação na guerra disfarçada..
Também para ti um abraço daqui da beira mar

Vieira Calado disse...

Aqui em Lagos, aterrou um avião alemão, na Meia Praia (6 Kms de comprimento).

Contam os que assistiram, que a Guarda Fiscal, ao dar-se conta, rumou, num jip, à Meia Praia.

Levou o seu tempo visto que nem estrada havia.

Os alemães, que reparavam o avião no exterior, aperceberam-se da aproximação mas continuaram a trabalhar, sem precipitação.

Já o jip estava muito perto, tinham acabado o serviço.

E levantaram voo, nas barbas dos guardas...

Em Sagres, houve imensas batalhas aéreas, e contra submarinos.

Mas, é outra história.


Cumprimentos

garina do mar disse...

grande história Marieke ;)

um dos melhores sítios para mergulhar no Porto é um submarino alemão, o U1277...
quando receberam ordem para se renderem, e porque não queriam voltar para a Alemanha onde seriam presos (ou condenados à morte), optaram por afundar o submarino a cerca de 2,5 milhas de terra, ao largo do Cabo do Mundo... a tripulação foi recolhida e foram feitos prisioneiros de guerra em Inglaterra!
só em 1973 o submarino foi descoberto!!! ou seja, deve haver imensas histórias como estas...

J.pião disse...

Ola marieke e bem haja toda gente ,falar em S.Jacinto é música para os meus ouvidos!fiz de S.Jacinto durante sete anos o meu abrigo do barco de pésca ,que maravilha ,a proposito que é feito do Sre. Antunes? que tinha o restaurante mesmo na marginal ,encostado a ria onde eu atracava o meu barco «caximar»,e que delicia quando de vês em quando eu e a minha camradagém comia-mos no restaurante do Sre.Antunes bélos tempos !e o submarino Garina,sim o Submarino que está a -18- braças a oeste da praia da Boa Nova, pois onde nesse mesmo submarino apanhamos bom robalo ,más também ficaram lá redes tres qutro redes mortas isto as meias redes de cada vês que lá largava e cercava o Submarino ,portanto já ganhei bóm dinheiro com ess casco submarino...Saúdações maritimas .Jaime Pontes...