segunda-feira, 21 de julho de 2008

Passeio na Ria de Aveiro com meninos do Instituto Português de Oncologia do polo do Porto


Notícia saída no Diário de Aveiro de Domingo passado.
"...Para os mais novos o momento é de convívio. Para os pais, a oportunidade de trocar de experiências entre quem convive com o cancro infantil
Com o objectivo de proporcionar um “dia inesquecível”, a ÁVELA (Associação Aveirense de Vela de Cruzeiro) e a Acreditar realizaram, ontem, um passeio de barco pela Ria até São Jacinto, que reuniu crianças do Centro de Emergência Infantil de Aveiro e do Serviço de Pediatria Oncológica do IPO do Porto.

A iniciativa vai na quarta edição, na qual se inscreveram perto de 40 crianças, ainda que, de acordo com a organização, “nem todas conseguiram alta hospitalar para poder participar”.

O passeio foi acompanhado por voluntários e pessoal técnico do hospital, para quem a experiência é “muito positiva” para pais e crianças. Conceição Nunes, voluntária, considera que a iniciativa é uma oportunidade “fantástica”, porque “apesar de doentes, são crianças como todas as outras”.

Para Nazaré Martins, educadora de infância no IPO do Porto, o passeio “é muito importante para o estado de espírito dos meninos. É uma mais-valia para os mais novos, já que têm a capacidade de repor a normalidade no seu percurso de vida, já que daqui levam experiências necessárias ao seu crescimento”.

Para os pais, refere, “torna-se um espaço de encontro e de troca de experiências”. “Ao conversar com outros pais de crianças doentes em diferentes estados, percebem que a esperança não pode sair dos seus espíritos”.

O presidente da AVELA (Associação Aveirense de Vela de Cruzeiro), Paulo Reis, diz que esta é uma forma de aproximação à comunidade e de servir uma causa social. O responsável gostava de ver o seu exemplo repetido por outras instituições ou empresas. “Devia ser uma das suas prioridades colocar os seus meios ao serviço de causas maiores, dando alguma alegria a quem passa por dificuldades”, afirma.


A participar pela primeira vez neste passeio de barco, António Ramalho - pai de João Afonso, uma das crianças inscritas - tem por hábito integrar convívios do género. “São sempre momentos muito agradáveis, que funcionam como uma válvula de descompressão. Conseguimos conviver com outros pais, com quem trocamos experiências. É também uma forma de convívio com as crianças, contribuindo para consolidar laços afectivos, o que é muito importante para quem vive esta situação”, conclui.

Cláudia Carneiro

5 comentários:

Amiga Atlántica disse...

Qué foto máis linda!!!
Os moliceiros a vela...
Deseando volver a veros os mando un forte abraço desde Vigo de Haddock y mío

Sailor Girl disse...

Tchiiii!!!.... Isto é concorrência à séria à «Marinha do Tejo»!!! ahahahah

EXCELENTE INICIATIVA!!!!!!!

Beijinho!

Marieke disse...

obrigada sailoe girl
Beijinho para ti tb

joao veiga disse...

"...
Esta Vida de Marinheiro
Está a dar cabo de mim
pá pári pá pá pári pá pári pá pá
...."

Marieke disse...

obrigada pela visita ao blogue ...comandante