domingo, 21 de setembro de 2008

21 de Setembro-Dia Internacional da PAZ


Hoje neste dia especial e sem tecer nenhum comentário deixo aqui uma foto da estampa de Picasso que tenho na entrada da minha casa

4 comentários:

almagrande disse...

Não conhecia este auto-denominado congresso mundial para a paz, no entanto o local do dito e a data deixaram-me curioso..
Pelo que li tratava-se de uma organização comunista, pró- estalinista destinada a criar "confusão" social no ocidente e nada mais.São conhecidas as suas acções de massas aquando das guerras da Coreia, da Argélia e do Vietnam entre outras. Só não consegui perceber onde estavam eles quando o "Pacto de Varsóvia" invadiu a Hungria ou a checoslováquia. E quando o Khrushev enviou os mísseis para Cuba pondo o mundo à beira de uma guerra nuclear..?
Gato escondido com o rabo de fora..neste caso uma pomba, mas não deixa de ser uma bela estampa

Rosa Louxembourg disse...

Debout, les damnés de la terre
Debout, les forçats de la faim
La raison tonne en son cratère
C'est l'éruption de la fin
Du passé faisons table rase
Foules, esclaves, debout, debout
Le monde va changer de base
Nous ne sommes rien, soyons tout...

Marieke disse...

O Ponto de Encontro é um espaço livre plural..é um pontode encontro entre culturas ..raças...credos..etc..por isso aos dois ..Almagrande e Rosa do Louxembourg um obrigada pela opinião.
O vosso contributo é bem vindo
Um abraço aos dois

arneironi disse...

Hola Marieke:

Sem propósito algúm de polémica -fora de tempo e lugar- : Na Espanha, cuando Felipe Gonzalez desde o Goberno -anteriormente o seu partido (PSOE) tiñase manifestado contrario a entrada- promovíu, mediante referendo, a adhesâo de Espanha a OTAN, o seu argumento chave utilizado a favor da mesma era que a OTAN constituía uma aliança militar de carácter defensivo nasçida, diziam, para dar resposta ao ameaçante Pacto de Varsovia na procura de um equilibrio necesario para a paz mundial; ademáis do tremendismo disparatado de que o Nâo na consulta, nâo ter-ía quem o gestionase políticamente, como se o Goberno non estivera obrigado a respeitar a decisâo plebiscitada.

DESAPARECERON: o Pacto de Varsovia: o Muro de Berlín; e a Unión Soviética.

E A OTAN CONTINÚA.
Nâo só, en ningúm momento foi, nem cuestionada, nem prantexado o máis mínimo debate sobre a súa continuidade, uma vez desapareçida a principal razâo argumentada para a súa existencia.

Fala almagrande de 'ocupación' de Hungría e Checoslovaquia.

Hoxe a OTAN, en conjunto, ocupa parte da ex-Yugoslavia, despóis de promover a súa total fragmentaçâo; e o Afganistâo, e, parte dela, o Irak, os dois ben longe do ámbito do espaço geográfico no que se justifica a aliança; e está disposta para estar alí onde mande quem manda. E ísto, ademáis de 'correcto, benéfico e cuase virtuoso' sem importar os mortos de frente ou colaterais que foren precisos, civís ou militares, homes, mulleres ou nenos, a todos se cobre coa manto talibán ou de alqaeda que tudo cuanto se faga bendice, ocorre, justo, cuando emfrente nâo ten uma força militar que ameaçe, nen de longe, a súa hegemonía.

Nos tempos imediatos que seguiron a queda da URSS, desaparecido o comunismo, que constituía o " enemigo ", pelo só feito de sere a única alternativa real ao sistema capitalista, entrabamos, decíase, nun idílico tempo de paz universal. Era o fin da estoria.

Desde entâo, nunca tantos conflitos bélicos ten habido do fin da II Guerra para acó.
A 'pax romana' administrada ao mundo pelo Grande Benefactor 'occidental', da que disfrutan, pelo momento, Bosnia, Kosovo, Macedonia, Afganistâo e Pakistâo.
Algúms máis estâo na lista de espera por falta de presuposto, suponho.

Saudos a todos.