sexta-feira, 13 de junho de 2008

Poesias de Fernando Pessoa e afins...II


Quem me dera que eu fosse o pó da estrada

E que os pés dos pobres me estivessem pisando...

Quem me dera que eu fosse os rios que correm

E que as lavadeiras estivessem à minha beira...

Quem me dera que eu fosse os choupos à margem do rio

E tivesse só o céu por cima e a água por baixo...

Quem me dera que eu fosse o burro do moleiro

E que ele me batesse e me estimasse...

Antes isso que ser o que atravessa a vida

Olhando para trás de si e tendo pena...

Alberto Caeiro

2 comentários:

homesdepedra disse...

Ai! se eu tivesse sempre só o céu por cima e a água por baixo...

Graciar por regalarnos tan fermosas poesias.
Parabens e apertas

Marieke disse...

Obrigada és sempte gentil..mas eu sou mais burro do moleiro..e olhar paea trás também não gosto